fbpx
Menu Fechar

Inovação Organizacional vs Estratégia vs Excelência na Gestão

Inovação Organizacional vs Estratégia vs Excelência na Gestão

 

Questões/conclusões de prenoção…

A palavra inovar tem origem no latim, significa tornar novo, renovar, pelo que, podemos dizer que inovação é a consumação do ato de inovar.
A inovação organizacional consiste na implementação de um novo método organizacional para a execução da missão, visão e valores!?…
O melhor resultado da Inovação Organizacional é a excelência na gestão!?…
O planeamento estratégico é uma “plataforma” de inovação (organizacional) que ajuda a resultados para as Organizações estarem mais próximas da excelência na gestão!?…

Nos nossos dias, as organizações (empresariais ou não, públicas ou privadas), face a desafios de competitividade concorrencial, começam a ter maior consciência acerca da necessidade de enraizarem uma cultura de melhoria contínua, ou seja, criação de tendências para a “Excelência na Gestão”.

Com a implementação de ferramentas e métodos conceptuais, já é recorrente que concentrem no planeamento estratégico, iniciativas alinhadas e distribuídas pelas partes interessadas, incluindo, necessariamente, novos métodos de organização, ou seja, inovação organizacional.

Apesar do exposto acima, ainda é comum ouvir-se falar que determinada empresa tem uma estratégia empresarial… Embora, na maioria dos casos não passa de confusão de conceitos, ou seja, é comum referirem-se a uma determinada tática como sendo “uma estratégia para…“.

«Ainda que, nalguns casos, essas táticas signifiquem a implementação de melhorias, ou seja, de inovação organizacional.»

De todo modo, quando referem que a “estratégia da empresa passa pela inovação” já é coerente pois, de entre as tácticas que nos possibilitam a execução de determinada estratégia, por defeito, implicam iniciativas criativas que levam, muitas vezes a “invenções”… Por consequência, a integração de invenções (ainda que do recurso a resultados da criatividade de terceiros), leva-nos à inovação (de produtos/serviços, de processos, de marketing, de organização…).

É pois, importante, termos consciência que a inovação organizacional deve ser parte da estratégia da Organização.

«Sendo que a estratégia é composta por táticas e, que a “fórmula” de execução da estratégia está na execução do conjunto das tácticas, de entre elas, iniciativas de inovação organizacional.»

Por conseguinte, a inovação organizacional verifica-se quando são criados e postos em prática novos métodos organizacionais no exercício da execução da missão, visão e valores das Organizações.

 
 Zaltman  et al (1973) in Innovations and organizations refere que a inovação implica mudança mas, que nem todas as mudanças implicam inovação. Numa definição de conceito mais amplo, a inovação está relacionada com a “novidade” que não é, necessariamente, uma “originalidade” mas que, no contexto de determinada organização é novo.

 

As Organizações inovadoras estão sempre à procura de (novas) tácticas que lhes garantam melhor posição para a competitividade (diferenciação e destaque face à concorrência).

A aplicação de tácticas (ou práticas de gestão) só permitem atingir o verdadeiro sucesso, se existir um verdadeiro envolvimento e alinhamento de todos os “stakeholders” no processo de inovação.

Para que tal suceda, é necessário que, nomeadamente, os colaboradores estejam alinhados e comprometidos com a estratégia da Organização, em princípio, desenhada para superar os desafios estabelecidos pelo mercado.

De uma forma mais concerta, a Inovação Organizacional implica a implementação de ferramentas conceptuais e métodos que alinham o desempenho dos seus recursos, para tornar possível as mudanças que permitam lograr novas metas.

 

SUGESTÕES DE TÁCTICAS PARA FOMENTAR PROCESSOS DE INOVAÇÃO ORGANIZACIONAL

  • Gestão planeada na base do FADO (Fixação Antecipada do Desenvolvimento Organizacional) = Planeamento Estratégico
  • Premiar o desempenho do Capital Humano;
  • Promover com reconhecimento profissional e financeiro, por via da participação em resultados gerais e/ou de performance do desempenho de grupo e individual;
  • Disponibilizar conhecimento, pela via da formação e atualização de conhecimentos e, criação de ambientes de autoaprendizagem;
  • Promover o relacionamento de confiança e colaboração entre todos os colaboradores;
  • Disponibilizar boas condições de trabalho;
  • Promover um ambiente propício para a aceitação de ideias que “alimentem o funil” da criatividade, com envolvimento de todos, colaboradores, utentes/clientes, fornecedores…;
  • Horários  de  trabalho  ajustados/flexíveis, com vista à promoção de práticas de conciliação entre a vida pessoal e profissional;
  • Promover a participação em associações culturais, desportivas e intelectuais que possam originar “saúde e bem-estar”, além de poder promover a integração de novas competências e contributos para a implementação de tácticas que acelerem a inovação organizacional;
  • Promover a decisão/gestão participativa;
  • Implementar ferramentas que melhorem a comunicação interna;
  • Integrar conhecimento via processos de benchmarking.
  • Implementar ferramentas que permitam medir a performance em tempo útil, para que haja feedback de resultados e, permita a autoavaliação de desempenho face ao cumprimento de metas previamente aceites.
  • Promover parcerias com centros de conhecimento (universidades…), clientes/consumidores como uma prática saudável que gera resultados positivos.

Em sumário: a inovação organizacional é a aplicação de novos métodos de exercício e execução da missão, visão e valores das Organizações. Pode corresponder a grandes ou, simples mudanças na organização, por exemplo, do local do trabalho ou na relação com o mercado, utentes, clientes, fornecedores, associados, acionistas…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *